Alunos produzem instrumentos musicais a partir de madeira certificada

Violões, cavaquinhos e violas produzidas com o material ajudam jovens a aprender uma nova atividade e a ter responsabilidade ambiental

Quando um adolescente interessado em música quer aprender a tocar algum instrumento, como o violão, ele começa a pensar em qual modelo vai comprar antes mesmo de saber como se faz um acorde. Na hora de escolher entre tantos modelos, o que conta é a beleza, qualidade e preço. E se além desses fatores pensarmos em um que é pouco lembrado, mas que também contribui para que o consumo consciente? A procedência da madeira.

A Oficina Escola de Lutheria da Amazônia (Oela) é responsável por produzir violões, cavaquinhos e violas com madeira certificada, o que significa que todos os instrumentos feitos, vendidos e usados pelos alunos são fabricados com matéria-prima que passou por um processo correto. Ou seja, nenhuma madeira foi adquirida através de desmatamento ilegal.

O consumidor não costuma ter esse tipo de consciência, mas antes de adquirir qualquer móvel ou objeto produzido com madeira, o correto seria pesquisar sobre a procedência do material usado.

Responsável por uma educação profissionalizante de jovens amazônicos, a Oela coloca a necessidade de respeitar os limites que a natureza impõe e que muitas vezes são ignorados pelo homem, aliada à educação dos alunos. Por conta disso, eles só utilizam os recursos naturais do ambiente em que vivem com responsabilidade e sempre buscando soluções sustentáveis.

Acesse o site da loja da Oela para conhecer e comprar os instrumentos produzidos pela organização.

Veja também:

Você sabe o que é reciclagem? E como ela surgiu?

Descarte móveis, eletrônicos, eletrodomésticos e muitos outros objetos velhos sem sair de casa

O que é lixo mesmo?



 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail