É necessária uma abordagem integrada para cortar emissões, dizem especialistas

Documentos importantes foram lançados concomitantemente com o início da COP21

Imagem: Eletrosul Divulgação/Vanderlei Tacchio

Enquanto os países se reúnem na COP 21, em Paris, para determinar um novo acordo climático global, um grupo dos mais renomados cientistas de recursos naturais do mundo, pertencentes ao Painel Internacional de Recursos (IRP, na sigla em inglês), divulgou, em 30 de novembro, as ‘Dez Mensagens sobre Mudança do Clima’. O documento pede uma maior dissociação entre crescimento econômico e o uso de recursos naturais como parte integral da política climática.

Um dos pilares do documento é aumentar a produtividade por meio de uma melhor eficiência, e reduzir o desperdício poderia diminuir o consumo dos recursos e as emissões de gases de efeito estufa, trazendo ganhos econômicos e promovendo um acesso mais equitativo. Além disso, através da dissociação, os países em desenvolvimento poderiam cortar o aumento da demanda anual de energia em mais da metade nos próximos 12 anos, enquanto alcançam seus objetivos de desenvolvimento.

Este argumento é também apoiado pelo novo relatório do IRP “Opções de energia Verde: os benefícios, riscos e compensações de tecnologias de baixo carbono para produção de eletricidade”, também no dia 30 de novembro. O relatório avalia nove tecnologias energéticas de baixo carbono, que serão essenciais para atender a objetiva e crescente demanda de manter a média de temperatura global abaixo dos 2ºC até 2100.

Pela primeira vez, os países que tomam decisões sobre qual tecnologia de energia renovável podem usar possuem informações claras e cientificamente comparadas, não apenas sobre os benefícios da redução dos gases de efeito estufa, mas também sobre outros impactos positivos e negativos ao meio ambiente, à saúde humana e aos recursos naturais.

O diretor executivo do Programa da ONU para o Meio Ambiente (Pnuma), Achim Steiner, lembrou que tecnologias, como a fotovoltaica e eólica, proporcionam benefícios evidentes no combate à mudança do clima e à poluição do ar, e fornecem acesso à energia limpa e acessível.

“Essas tecnologias serão cruciais para mantermos o aquecimento global abaixo dos 2ºC, mas precisamos estar conscientes dos efeitos que isso pode trazer para o meio ambiente, como, por exemplo, o maior uso de metais como aço e cobre na sua fabricação. Como os países tentam satisfazer as suas necessidades energéticas e combater a mudança do clima ao mesmo tempo, este relatório pode ajudar a identificar a combinação mais sustentável de tecnologias de energia para atingir esse objetivo.”

A demanda global por energia deverá exigir um investimento estimado de 2,5 trilhões de dólares por ano nos próximos 20 anos em novas instalações de energia e iniciativas de conservação. Este relatório apresenta uma oportunidade única para os países selecionarem cuidadosamente as tecnologias de produção de eletricidade em que forem investir.

Para acessar "Dez Mensagens do Painel de Recursos Internacional sobre Mudanças Climáticas", clique aqui. E para conferir o relatório “Opções de energia Verde: os benefícios, riscos e compensações de tecnologias de baixo carbono para produção de eletricidade”, clique aqui. Ambos os textos estão em inglês.

Fonte: ONUBr

Veja também:
-IPCC: a organização mundial por trás dos relatórios climáticos
-Clima global pode ter condições alarmantes no futuro, diz relatório da ONU


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail