Agência ambiental dos EUA denuncia que fraude da Volkswagen pode ser maior

EPA, dos Estados Unidos, faz nova denúncia sobre adulteração de desempenho de veículos da marca em testes ambientais

A Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês), agência ambiental dos EUA, denunciou no dia 2 de novembro que a Volkswagen instalou dispositivos de manipulação de emissões poluentes em automóveis com motores 3.0, incluindo o Touareg 2014, Porsche Cayenne 2015 e Audi A6 Quattro 2016, noticiou a Bloomberg. Em 18 de setembro, a mesma agência havia denunciado a empresa de instalar softwares para adulterar testes em mais de 500 mil veículos vendidos apenas nos EUA (saiba mais aqui).

Segundo a entidade, este kit fraudulento foi também incorporado nos modelos automóveis A7 Quattro, A8, A8L e Q5, de 2016. A instalação deste dispositivo tecnológico permitiu que estes veículos passassem nos testes poluentes, embora as emissões fossem nove vezes superiores ao permitido por lei. A fabricante alemã teria instalado o dispositivo fraudulento para enganar os testes em modelos produzidos entre 2014 e 2016.

A EPA disse que esta nova notícia de fraude, a segunda atribuída à Volkswagen este ano, envolve cerca de 10 mil veículos a diesel já vendidos nos Estados Unidos, bem como um número desconhecido de automóveis de 2016 (encomendas que serão entregues no próximo ano).

kit fraudulento tem um temporizador que é ligado assim que detecta que o veículo está sendo testado na sua emissão de poluentes, o que faz com que o automóvel emita um valor muito abaixo do real, informou a agência ambiental. Em setembro, a EPA declarou que a Volkswagen (VW) tinha vendido 482 mil veículos a diesel nos Estados Unidos incorporados com o dispositivo fraudulento.

A Volkswagen deverá ser alvo de várias ações cíveis da EPA, bem como de acusações criminais do Departamento de Justiça dos EUA, além de eventuais multas em países onde os seus automóveis são vendidos.

Em 18 de setembro foram conhecidos publicamente os resultados de testes de emissões poluentes de veículos equipados com motores a diesel do grupo Volkswagen, relativos às marcas Volkswagen, Audi, Seat e Sköda, concluindo-se pela existência de veículos equipados com um dispositivo que permite a manipulação de informação relativa a emissões poluentes.

O grupo alemão admitiu a existência de 11 milhões de carros nestas circunstâncias.

Para saber mais sobre o caso e sobre suas consequências ambientais, clique aqui.

Fonte: Agência Brasil via Agência Lusa

Veja também:
-Entenda por que o escândalo da Volkswagen é um problema mundial de saúde pública
-Volkswagen do Brasil fará recall de 17 mil carros do modelo Amarok devido à fraude ambiental


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail