Fibra feita a partir de composto aquoso pode tornar a fabricação de roupas bem mais sustentável

Material ainda precisa passar por mais testes, mas é muito promissor

Teia de aranha

Uma equipe de pesquisa composta por arquitetos e químicos iniciou um trabalho para tentar reproduzir um material muito resistente: a seda (teia) de aranha. E a boa notícia é que eles têm obtido êxito.

A fibra sintética foi produzida a partir de um material chamado hidrogel, que é compostor por 98% de água. O processo ocorreu na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, com o objetivo de desenvolver uma fibra "muito elástica, forte e sustentável" - caso a pesquisa avance, a fabricação de têxteis pode se tornar muito mais ambientalmente amigável, como veremos adiante.

Hidrogel e a produção da fibra

O hidrogel é formado por cerca de 2% de celulose e sílica (ambos materiais naturais) suspensos em água com algumas moléculas em forma de pequenas pulseiras, chamadas cucurbiturils. Esses produtos químicos, descritos como "algemas moleculares com forma de barril" pela equipe em Cambridge, mantêm a celulose e a sílica juntas, permitindo que fibras longas e extremamente finas sejam produzidas a partir do gel.

A água evapora logo após as fibras serem retiradas do hidrogel, resultando em uma fibra sintética que é mais forte do que a a fibra artificial à base de celulose conhecida como viscose, e até mesmo do que algumas fibras naturais, como os pelos dos animais. Essas fibras de hidrogel também possuem capacidade de amortecimento que excede a das sedas naturais.

Redução de impactos

A fabricação da maioria das fibras sintéticas requer insumos variados, grande quantidade de energia e solventes perigosos (veja mais em "Quais as pegadas ambiental, hídrica e de carbono de uma camiseta de algodão?")... Outras podem poluir os rios e mares com microfibras a partir de lavagens e deterioração. A nova fibra de hidrogel é feita em temperatura ambiente, o que exige pouca energia, e o hidrogel é apenas uma solução aquosa, de modo que o processo evita a incorporação de solventes tóxicos.

Lidar com os cucurbiturils é uma tendência muito promissora em laboratórios químicos ao redor do mundo - suas propriedades únicas podem ajudar a na fabricação de nanomáquinas, na detecção de baixos níveis de toxinas, no tratamento de águas residuais e muito mais. Eles são compostos apenas por produtos químicos orgânicos, por isso, embora sejam necessários mais estudos a respeito, o risco de que apresentem novos perigos insuspeitos parece baixo em comparação com as opções de fibras existentes atualmente no mercado têxtil.

Para ter acesso ao estudo da Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas) que fala sobre a composição de fibras baseadas em hidrogel, clique aqui.


Fonte: Treehugger

Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail