Hambúrguer bovino mesclado com fibras de abacaxi pode ajudar no combate à obesidade

Parece um hambúrguer comum, mas ele tem fibras de abacaxi

Hambúrguer bovino mesclado com fibras
Imagem: Miriam Selani / divulgação

Um hambúrguer bovino desenvolvido com fibras de abacaxi é a mais nova aposta para se combater a obesidade. O trabalho foi realizado pela pesquisadora da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP), Miriam Selani, em Piracicaba (SP), e recebeu o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

A pesquisa, que foi o doutorado de Selani, buscou substituir parcialmente a gordura de origem animal encontrada no hambúrguer bovino convencional, que é uma das responsáveis pelo crescimento do colesterol no organismo (aumentando o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes), por fibras de abacaxi e gordura vegetal embutida no óleo de canola. Ou seja, não se trata de um hambúrguer vegetariano, mas sim de um hambúrguer bovino "magro", com menos gorduras e mais fibras.

O novo hambúrguer com menos gordura passou por muitos processos. Selani afirma que escolheu o abacaxi, entre outras frutas, por ser a que possuía maior número de fibras, permitindo que a carne tivesse uma boa textura. “Avaliamos três fontes de fibra para posterior aplicação no hambúrguer com baixo teor de gorduras, os bagaços de abacaxi, manga e maracujá, todos os subprodutos da indústria de sucos”, diz.

A análise da textura do hambúrguer foi feita com o uso de um aparelho chamado texturômetro. O estudo realizado demonstrou que a "carne" apresenta bastante semelhança com relação a sabor, odor, cor, suculência e maciez em relação ao hambúrguer tradicional.

O estudo demonstrou que o hambúrguer bovino "magro" com fibra de abacaxi e óleo de canola pode ser um substituto viável ao produto comercial “gordo”. Suas vantagens são a redução tanto nos níveis de gorduras prejudiciais à saúde quanto no teor de calorias, além da melhoria da qualidade sensorial de produtos com redução de gordura

O produto ainda não está disponível para comércio por estar em fase de testes, contudo, não precisa ser um expert para imaginar o quanto essa pequena iniciativa pode ser útil e válida no combate à obesidade.

Um problema que se alastra

A obesidade vem se tornando uma grande preocupação no Brasil. Uma pesquisa feita em 26 países e divulgada pelo Ministério da Saúde aponta que o número de brasileiros acima do peso subiu de 42,7% para 48,5% entre os anos de 2006 e 2011. Dados indicam que o número só aumentou considerando o crescimento das redes de fast food no país. E esse tipo de restaurante está se fortalecendo; o portal Brasil Econômico divulgou dados coletados pela empresa britânica Mintel, que mostram que o faturamento desse mercado atingirá a faixa de 75 bilhões em dois anos no Brasil.

O número de consumidores de carnes gordurosas também é alarmante. O mesmo estudo publicado pelo Ministério da Saúde comprova que cerca de 34,6% dos brasileiros se alimentam de carnes com gordura.

Mas você pode ir além e começar a se alimentar com opções 100% vegetarianas. Saiba que, além de melhorar a sua saúde, optar por pratos vegetarianos evita uma grande quantidade de emissões e gastos com água (veja mais como a criação de gado promove consumo de recursos naturais e danos ambientais em escala estratosférica). Conheça dicas para ir começando aos poucos.



Veja também:


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail