Artista instala esculturas embaixo d'água e conta com ajuda de corais para "finalizá-las"

Trabalho incrível tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de recifes e corais

Jason deCaires Taylor é um artista nada convencional. O inglês, nascido em 1974, se formou pelo Instituto de Artes de Londres, em 1998, com ênfase em escultura, mas sua paixão pela natureza fez com que se transformasse em instrutor de mergulho, naturalista e premiado fotógrafo subaquático. No entanto, ele não deixou as artes de lado - pelo contrário, ocorreu uma simbiose, na acepção mais propícia da palavra.

Misturando as duas paixões, Taylor criou esculturas de figuras humanas e objetos comuns em grandes cidades, como carros, televisores e telefones, mas que não participaram de exposições ou se fecharam em museus. Em 2006, na região do Caribe, o artista juntou suas obras e fundou o primeiro parque subaquático de esculturas do mundo.

Feitas com um cimento especial, as obras de Taylor são "finalizadas" pela natureza, pois algum tempo após a instalação das mesmas no fundo do mar, micro-organismos se apropriam e se proliferam nos locais, criando resultados incríveis.

As obras, que também estão submersas em Cancun, no México, trazem reflexões a respeito da efemeridade das formas e até de hábitos difundidos socialmente (dirigir, fumar, assistir TV). “Ao longo dos últimos 20 anos, nossa geração encontrou rápidas mudanças; tecnologicamente, culturalmente e geograficamente. Eu sinto que isso nos deixou com uma subjacente sensação de perda. Meu trabalho tenta gravar alguns desses momentos", disse o artista a respeito do trabalho de 2006.

Nos locais em que a arte é instalada, mergulhadores visitantes não só podem ver a obra, mas admirar o trabalho que a natureza faz com o passar do tempo - o que pode servir como forma de conscientização sobre a preservação da vida marinha, principalmente dos corais naturais, que foram exterminados em 40% desde os anos 70.

As obras têm aspecto grandioso. Apenas no trabalho mexicano, há 400 esculturas, que pesam 200 toneladas e ocupam 420 metros quadrados. "É evolução do crescimento, intervenção artística como crescimento ou um balanceamento de relacionamentos", afirma Taylor, em seu site oficial.

Confira abaixo um filme explicativo sobre o trabalho do artista e mais algumas imagens:


Veja também:
-[Vídeo] Como seria São Paulo com menos carros e mais bicicletas?
-Conheça "a verdade" por trás do mito dos tênis voadores


 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Saiba onde descartar seus resíduos

Encontre postos de reciclagem e doação mais próximos de você

Localização Minha localização
Não sabe seu CEP?

Newsletter

Receba nosso conteúdo em seu e-mail